Página Inicial > Artigos > Marcelo Bernardo

» Artigos

  • Compartilhe 
  • Marcelo Bernardo
  • REDAÇÃO DISSERTATIVA E DISCURSIVA... COMO DIFERENCIAR?

    14/06/2012

    Olá, Pessoal!

     

    Espero que todos estejam bem e pelo BEM!

     

                Este primeiro artigo do mês sai no embalo nas festas juninas, momento especialmente animado da cultura nordestina. Quadrilhas ensaiam arduamente para fazer bonito nos arraiais, casais já exercitam os passos nos arrasta-pés da vida e quitutes como canjica, pamonha, pé de moleque e bolo de milho - sem contar obviamente o próprio milho, a grande estrela da culinária do período, em suas versões assada e cozida... huuummm... - já deliciam os paladares ávidos por uma comidinha saborosa e regional.

                Comida, a propósito, tem se tornado uma constante por aqui. Inclusive alguns de vocês, caros alunos-EuVouPassar, já devem estar dizendo: "Professor, cuidado com as taxas e com a obesidade!?" (Claro! Sem querer insinuar que estão me chamando de 'gorditxo'... kkk É, gente!.... o vídeo amplia um "pouco" o nosso "diâmetro"... as ditas "saliências adiposas"... "excesso de fofura"... como queiram chamar... João Antônio que não leia este artigo... Vocês já viram o tamanho do prato de sushi / sashimi / tamaki / "tâmu-aki"... vivivi /  kikiki /...  kkk) Fiquem tranquilos, que - por ora - está tudo sob controle... bom... eu acho, né? Quando foi meu último exame, mesmo... Vixe! Acho que preciso atualizar... ééé... depois do São João, ok? Desse modo, podemos aproveitar as guloseimas citadas :0 sem susto... ;-)

                No entanto, sabemos que o espaço aqui não é reservado à gastronomia, mas à Língua Portuguesa... Deixemos isso para o eminente e saudoso escritor Gilberto Freyre (O Mestre de Apipucos) que, com maestria, pôs em paralelo os campos da linguagem e da gastronomia brasileiras, destacando, nesses campos, a influência da cultura africana e reforçando a convergência encontrada por ele entre "falar" e "saborear"... genial!

         Por isso, ao assunto deste artigo! O prato da vez, dizemos melhor, o tópico, é a diferença entre redação de caráter dissertativo e discursiva, assunto bastante abordado em alguns e-mails que temos recebido.

    Então, vejamos.

    A redação não deixa de ser uma discursiva, e esta não deixa de ser uma redação. Complicou? Hahahaha.... Veja como é simples: em ambas você escreverá no sentido de demonstrar uma tese, analisar um fato ou discutir algum conteúdo específico. Produzirá um discurso. Daí, serem discursivas. Tal ação se dá pelo ato de redigir, daí serem redações.

    Acontece que, quando se fala em redação, geralmente, diz-se respeito a textos dissertativo-argumentativos, em sua imensa maioria acerca de temas da atualidade e de interesse público (conhecimentos gerais), de caráter mais jornalístico. Em raras ocasiões (mas TODAS devidamente sinalizadas no edital!), sobre algum tópico específico do conteúdo programático previsto no edital.

    Separei dois exemplos para ilustrarmos bem o que acabamos de afirmar:

    EXEMPLO 1

     

    CESPE - UNB - CONCURSO PARA O MPU

     

    FRAGMENTO DO EDITAL

     

    6.4 DA PROVA DE REDAÇÃO

    6.4.1 A prova de redação valerá 20,00 pontos e consistirá na elaboração de texto, com no máximo 30 linhas, ACERCA DE TEMAS DA ATUALIDADE.

     

    EXEMPLO 2

     

    FRAGMENTO DO EDITAL PRF 2008

     

    6 DAS PROVAS OBJETIVA E DE REDAÇÃO - PRIMEIRA FASE

     

    6.1 Será realizado exame de habilidades e de conhecimentos mediante aplicação de prova objetiva e de prova de redação, ambas de caráter eliminatório e classificatório, ABRANGENDO OS OBJETOS DE AVALIAÇÃO CONSTANTES DO ITEM 20 DESTE EDITAL, conforme o quadro a seguir. (...) Trata-se do conteúdo específico para a prova, pessoal.

     

     Já as discursivas, normalmente, tratam de algum tópico das disciplinas que constam no programa de conhecimentos específicos do concurso, cuja abordagem é bem mais prática e correspondente ao cargo escolhido (geralmente, entre 10 a 20 linhas).

    Do ponto de vista estrutural, ambas apresentam aquela divisão clássica: introdução, desenvolvimento e conclusão. Entretanto, como rotineiramente há mais espaço para a produção de dissertações do que para a escritura de discursivas, a citada estruturação do primeiro tipo de texto será marcada pela divisão em parágrafos específicos para cada uma das partes citadas.

    Por sua vez, nem sempre haverá espaço suficiente para fazer o mesmo na discursiva. Assim, essa divisão terá de ser caracterizada pelo que é dito no texto, ou seja, deve ficar bem claro, em sua discursiva, o valor de cada segmento dela. Dito de outro modo: a introdução, o desenvolvimento e a conclusão têm de ser evidentes pelo conteúdo e pela forma que apresentam.

    Diferença estabelecida, podem continuar a fazer seus discursos (discursivas e redações) sem receio, tanto como exercício quanto em situação de prova. E, soltando fogos de alegria, desfrutemos deste mês o estudo motivado e assíduo, a prática do bem e também os animados festejos juninos.

     

    É isso aí, pessoal!

     

    Um forte abraço e um ótimo estudo a todos!

    Prof. Marcelo Bernardo

    Prof. Jamesson Marcelino

    Facebook.com/profmarcelobernardo

     

    O nosso portal MB (piloto) já está quase pronto! Envie-nos suas sugestões: o que você gostaria de encontrar nele? O que não pode faltar? Escreva para nós! Nossa meta é construir o maior portal de língua portuguesa para concursos do país!  (www.marcelobernardo.com.br) Sou muitíssimo grato ao EuVouPassar pelo inestimável apoio! Valeu, João! 

    • Compartilhe 


    Eu Vou Passar® - Copyright 2010. Todos os direitos reservados.

    Eu Vou Passar Comércio de Livros e Materiais Didáticos e Serviços Educacionais Ltda
    Av. Lins Petit, 320 - Salas 403/404 - Boa Vista - Recife - PE - CEP 50.070-230
    CNPJ: 11.292.078/0001-43