Página Inicial > Artigos > Fernando Gama

» Artigos

  • Compartilhe 
  • Fernando Gama
  • Redação

    14/04/2010

    Pessoal,

    Escrever, dizem, é um dom. Tal como jogar futebol, ter talento para música ou alguma outra habilidade especial nata. Discordo. Embora talvez seja realmente impossível treinar alguém para ganhar o prêmio Nobel de literatura ou algo que o valha, escrever bem não exige muito mais do que uma boa dose de dedicação, concentração e bom senso. Quando tive minhas primeiras aulas de redação na escola, não gostei. Era sempre mal avaliado, os professores reclamavam da minha caligrafia e dos meus erros de português. Quando fui fazer o vestibular, meu maior temor não eram as provas de matemática, química ou física, mas sim, a de redação. E, ao ingressar no mundo dos concursos, descobri que não havia mais como adiar: eu terei que aprender a escrever bons textos para ser admitido em bons concursos, tais com o do Tribunal de Contas da União que exigia dos candidatos, à época em que fiz o concurso, a produção de três textos, além da feitura de um parecer. Parecia algo inatingível ou mesmo impossível para quem já havia levado tantas bombas em redação vida afora. Inclusive, em um dos vestibulares que eu fiz certa vez, tive notas nas provas objetivas melhores do que a do candidato classificado em primeiro lugar, mas fui eliminado pela baixa nota na prova de redação.

    No ano passado, entretanto, achei curioso quando, pela primeira vez, entrei em sala de aula para ministrar aulas de redação. Modéstia às favas, sempre tive um desempenho muito bom nas disciplinas chamadas de "exatas" em concursos: Matemática, Contabilidade, Raciocínio Lógico. Mas, quando me deparava com as provas "abertas" em que me pediam para falar sobre algo que até eu poderia saber, meu coração disparava. Eram muitas linhas! Como começar? E o pior, como terminar essa redação?

    Comecei a estudar melhor esse assunto. Quando fiz as minhas aulas de Redação para Concursos, os professores, como todo respeito que devo a eles, sempre começavam ensinando o be-a-bá da Língua Portuguesa. Acentuação, regras da gramática, concordância, pontuação, regência! Aff! Eu sempre fui mal de português justamente por não gostar de decorar regras. Mas, mesmo que eu entendesse e decorasse as regras, não era isso que ia me ser exigido na prova de redação. E, mesmo que eu conseguisse decorá-las, ia me faltar o tal dom, o tal talento para escrever a redação. Algo que, aparentemente não era ensinado, já que os professores parecem também ser da corrente de que escrever bem é um dom.

    No início, não tinha certeza e convicção e muito menos bagagem para ousar discordar. Hoje, discordo de forma veemente. Embora seja sempre desejável que a pessoa conheça as regras do bom Português para escrever bem, isso não é essencial para uma boa redação. Obviamente, uma prova com erros de português será com certeza mal avaliada, não tenham dúvidas, mas o que eu sustento é que você pode escrever bem sem ter nascido com o talento e sem decorar todas as regras de português antes de começar a redigir bons textos. Aliás, defendo que quando você ganha desenvoltura na escrita, os erros de português ficam mais evidentes e costumam diminuir.

    Hoje, por incrível que pareça, embora não tenha nascido com o dom de escrever, hoje dou aulas de redação, mesmo que ainda cometa alguns erros de português. E já escrevi um livro! O que mostra que, de uma forma ou de outra, redigir e escrever bons textos é possível para qualquer um, inclusive para você.

    No início você vai sentir que a sua mão está presa e que as idéias não vêm à cabeça. Isso porque você treinado, desde o início da vida escolar, a marcar "xis" e a ter respostas exatas. Você foi treinado para não ter criatividade, foi treinado para se encaixar em uma máquina produtiva. Eu lembro que mesmo nas disciplinas menos "exatas", os alunos são treinados como gado. As provas de História, Geografia, Filosofia, por exemplo, não estimulam a reflexão dos alunos e o  posicionamento dos alunos. O mesmo ocorre nas provas de Literatura e de Língua Portuguesa: há respostas certas e erradas. Não há espaço para discussão de posicionamentos e opiniões. E é por isso, na minha opinião, que os alunos brasileiros estão entre os piores leitores e escritores de toda a América do Sul.

    Pasmem: Argentinos, Chilenos, Paraguaios, Peruanos, Colombianos, enfim, todos os alunos da América do Sul têm índices de interpretação de textos melhor do que os estudantes brasileiros. E, ao discorrer sobre a minha vida acadêmica e "concurseira" neste texto, eu sinto que vocês já sabem qual é a minha hipótese sobre esse terrível resultado. Diferentemente do que pensam os professores de redação, em sua maioria, escrever bem não é um dom. É algo que pode ser aprendido, com algumas regras fáceis e algum direcionamento que estimule o debate, o posicionamento e conflito ou confronto de idéias. Eu sempre falo que é desejável um bom conhecimento das regras da língua culta, mas como escrever é um processo de comunicação, entendo que, mais importante do que as normas, a clareza de idéias é que faz um texto ser gostoso de ser lido. Também é importante que a pessoa que se proponha a escrever sobre algum assunto, tenha conhecimento sobre ele. Conhecer o assunto não é essencial e, nesse ponto, também vou discordar da maioria dos professores que dão aulas de redação para concurso. Conhecer o assunto é, digamos, um bom começo. Mas também não é essencial. Já escrevi bons textos em provas de concurso sem dominar completamente o assunto e tirei a nota máxima. Quando não conheço bem o assunto, tento explorar os aspectos que eu conheço melhor dele, extrair possíveis conexões com outros assuntos não abordados ou desenvolver e fazer consecuções lógicas do objeto que está em comento. Mas haveria uma forma, sistematizada, de escrever um bom texto?

    Um sou uma pessoa sistemática. Gosto de sistematizar tudo. Sou, portanto, um chato. Quem está do meu lado, que o diga! Gosto de ter tudo ao meu controle e de fazer as coisas do meu jeito. Por isso, escuto pouco, falo pouco e faço muito. Muita gente não gosta desse jeito, mas foi por não ouvir as dicas dos professores de redação que consegui construir meu próprio método. Se vocês não quiserem ouvir, tudo bem! É um direito do qual eu também já usufruí. Mas, acredito que os meus alunos, que já tiveram aulas comigo de redação, gostaram das dicas. E começaram a escrever bem melhor, depois de um curso de apenas 6 semanas, aos sábados, aqui em Cuiabá. Deixando de lado as regras do Português, tentei ensiná-los a pensar claramente e construir idéias. Algumas das dicas vou deixar aqui no EVP durante este mês.

     Começo hoje com algumas dicas:

    1) Leia muito e bastante. Lendo muito e bastante, você conhecerá mais assuntos e terá mais condições de estabelecer um debate claro e lógico. E também poderá conhecer melhor as regras do nosso Português.

    2) Quando for escrever, evite a construção de frases e orações longas. Prefira as frases e orações mais curtas, a fim de evitar erros de concordância, regência, além de tornar o texto mais claro e conciso.

    3) Evite a inversão da ordem da oração. Uma oração tem a seguinte ordem: sujeito, verbo e predicado. Ao inverter a ordem, saiba o que está fazendo. É muito mais fácil escrever corretamente se for na ordem normal. Inverter a ordem é uma questão de estilo, mas exige mais concentração para evitar erros de gramática. Em alguns casos, a inversão gera confusão e ambiguidade. Por isso, é preciso ter atenção.

    4) Caso não conheça o assunto totalmente, divida-o em partes "menores" e escreva sobre o que sabe. Não use o "enchimento de linguiça". O examinador não é bobo. Nenhuma palavra, nem mesmo uma vírgula, deve estar no seu texto apenas para enfeitar. Tudo tem que ter sentido para expor o seu pensamento e a lógica que está sendo argumentada. Colocar coisas que não tem relação com a idéia principal do texto, vai apenas causar confusão e fazer você se perder.

    5) NÃO COMECE A ESCREVE SE NÃO SOUBER QUAL A IDÉIA PRINCIPAL DO SEU TEXTO. DE NOVO, NÃO ESCREVA NADA, SE NÃO SOUBER QUAL É O PONTO PRINCIPAL DA SUA ARGUMENTAÇÃO. MAIS UMA VEZ: NÃO COMECE NADA, SE NÃO SOUBER QUAL É A IDÉIA CENTRAL DO TEXTO A SER ESCRITO.

    Antes de construir uma ponte, temos que saber de onde vem e para onde vai. Quando vamos construir um prédio, precisamos saber quantos andares terá, qual a altura, qual o pavimento, enfim, todas as características dele. Ninguém começa a construir uma ponte ou um prédio sem saber como eles devem terminar. Se você não captou a idéia principal do assunto sobre o qual vai escrever, com certeza você não vai conseguir começar ou terminar o texto. Então, combinamos assim: enquanto você não entender a idéia principal do que está sendo discutido, não escreva nenhuma linha. Depois que descobrir a idéia central, tenho uma técnica para você começar e terminar a escrever o texto. Mas é preciso saber a idéia central. 

    E também é muito importante não misturar ou confundir idéias centrais com idéias periféricas. Há várias idéias em um texto, uma ou poucas apenas são as principais. As outras são conseqüências ou causas da idéia ou idéias principais.

    Muitas pessoas não têm essa clareza e esse discernimento, de modo que misturam idéias principais com periféricas e não chegam a lugar algum.

    Mais dicas?

    No próximo post! Acho que será possível fazer um mini-curso de dicas de redação aqui ao longo deste mês. No próximo, pretendo escrever mais sobre idéias principais e periféricas e como construir texto a partir dessa técnica.

    Abraços,

    Fernando

    fgamajr@gmail.com

    fernandogama@euvoupassar.com.br

    PROMOÇÃO DO NETBOOK

    Pessoal,

    Estive durante os últimos dias fora do Brasil, em uma localidade em que o acesso à Internet era muito ruim. Assim, não foi possível ler todos os e-mails e tenho que, infelizmente e a meu contra-gosto, adiar a data do sorteio para o dia 21/04. Isso porque eu esqueci de incluir algumas pessoas que compraram o livro na última lista e para não deixar ninguém que comprou o livro até o dia 10/04 de fora do sorteio (o que seria uma injustiça que não poderia ser "consertada" depois do sorteio), tive que prorrogar a data do sorteio. Ao todo, parece que eu me esqueci de 4 pessoas e outras duas pediram algumas correções, mas eu tive que ver tudo com cuidado para não esquecer de ninguém.

    Ontem, quando cheguei, vi que os livros encomendados à editora finalmente haviam chegado. Assim, ontem já enviei 58 livros das pessoas que compraram do dia 23/03 ao dia 31/03. Hoje, estou enviando mais uns 40 e poucos de quem comprou depois de 01/04. Assim, todos devem receber o livro em até 10 dias, contados de hoje, ok? Quem comprou o livro nesse período (23-03 a 10-04) e não receber o livro até o dia 25/04/2010, entre em contato, para que eu tome as providências necessárias, ok?

    Por fim, gostaria de avisar que não estou conseguindo acessar o Orkut. Quem puder colar essa mensagem por lá, iria me ajudar muito!

    Abaixo, a lista dos concorrentes. Amanhã coloco o número de sorte para cada um.

    Abraços,

    Fernando

    # Nome Local

    1 Wanderléia Marques Manaus-AM

    2 Waldir Felippe Joinville/SC 

    3 Jader Cesar Juazeiro/BA

    4 Márcia San Miguel Adamantina/SP

    5 Alexandre Nader São Paulo/SP

    6 Vivinaka São Paulo/SP

    7 Mirian Leite Formosa/GO

    8 Thiago Andrade Silva Salvador/BA

    9 Leandra Bordignon Cuiabá/MT

    10 Monica Vilhena/RO

    11 Magali Campo Novo do Parecis/MT

    12 Marcelo Solino Rio de Janeiro/RJ

    13 Marcelo Barato Santarém/PA

    14 Ricardo Lucas Maceió/AL

    15 Weverton Pereira Araguaína/TO

    16 Maria Rita Transferri Sorocaba/SP

    17 Giezer Rodrigues Funari Águas Claras/DF

    18 Marcello Republicano Brasília/DF

    19 Claudia Alvares Rio de Janeiro/RJ

    20 Wander Júnior XX

    21 Fábio Bananal/SP

    22 JOEDINA SILVA SOUZA São Luís do Maranhão

    23 Juçara Porto Alegre/RS

    24 Gisele Machado Faria Brasília/DF

    25 Marcelo Torres Salvador/BA

    26 Holga Naito XX

    27 agsterr2 Brasília/DF

    28 Joana Denisete Itaqui/RS

    29 Leonardo Lima Fortaleza/CE

    30 Ana Maria Rangel Macaé/RJ

    31 Daiana Campo Novo do Parecis/MT

    32 Eduardo Maia Capivari/SP

    33 Roberto Arcain Andradina/SP

    34 Patrícia Picolli Porto Alegre/RS

    35 Nelson Costin Cuiabá/MT

    36 Douglas Noguchi Nova Andradina/MS

    37 Marcela Scoralick Juiz de Fora/MG

    38 Ana Paula Almeida Belo Horizonte/MG

    39 Luiz Carlos Maia Goiânia/GO

    40 André Ramos Várzea Grande/MT

    41 Rodrigo Higino Curitiba

    42 Elza Olívia Belém do Pará/PA

    43 Miro-RJ Rio de Janeiro/RJ

    44 Fabiano Prestes Ibirubá-RS

    45 Patrícia Ferreira de Araújo Curitiba/PR

    46 José Roberto Vasques Moreira Taubaté/SP

    47 Suzane Silva Rocha Anápolis/GO

    48 Simoni Cheron Yamasaki Rolândia/PR

    49 Sara Cuiabá/MT

    50 Roberto Campo Novo do Parecis/MT

    51 Eduardo Hoffman Porto Alegre/RS

    52 Elizena Rossy Brasília/DF

    53 Meire Gonçalves de Almeida Itapecerica da Serra/SP

    54 ANDREIA PEREZ DA SILVA CARMANHANI Marília/SP

    55 Margareth Escolástico Niterói/RJ

    56 Marcia Helena do Nascimento Lorentz Santa Maria/RS

    57 Marcos Alves da Rocha Uberlândia/MG

    58 Flauber Gouveia Teresina/PI

    59 João Paulo Bomfim Brasília/DF

    60 Rosa Freitas Brasília/DF

    61 Rodrigo Waltz São Paulo/SP

    62 Alom Planalto/PR

    63 Débora Karine Belo Horizonte

    64 Marco Mega XX

    65 Válter Torres Caruaru/PE

    66 Sidney Moreira Lefundes Rio de Janeiro/RJ

    67 Priscila Cairo Pereira Salvador/BA

    68 Guilherme Oikawa Garcia dos Santos Recife/PE

    69 Genivaldo F Caldas São Luís Maranhão/MA

    70 Pedro Pereira Taguatinga/DF

    71 Danieli Ramos Coelho Petrópolis/RJ

    72 Victor Manuel Manaus/AM

    73 Cláudio Raulino Parnamirim/RN

    74 Daniela Moreira Maurício Belo Horizonte/MG

    75 Lea Marques Oliveira Fortaleza/CE

    76 Oscar Livera Camaragibe/PE

    77 Darlan Venturelli Curitiba/PR

    78 João Batista Silva Gusmão Pirassununga/SP

    79 Kiyoshi Furukawa São Paulo/SP

    80 Terezinha M Benedetto Belo Horizonte/MG

    81 Oterson Nocelli Juiz de Fora/MG

    82 Joaquim Cláudio Santiago Cruzeiro/DF

    83 Valdomiro Aparecido Moreira Silva São José dos Campos/SP

    84 Marcelha Scotton Juiz de Fora/MG

    85 Ulisses Caetano Pereira Bom Despacho/MG

    86 André de Castro João Pessoa/PB

    87 Cristiane Pires Quintae Rio de Janeiro/RJ

    88 Maurílio Alcântara Macedo Salvador/BA

    89 Jairo Mansur Júnior Vitória/ES

    90 Geraldo Nunes Gonçalves Júnior Itajaí/SC

    91 Verônica Batista Silva Lajedo/PE

    92 Virgínia de Souza Brasília/DF

    93 Rodrigo de Almeida Brito Nonano Salvador/BA

    94 Nei Alexandre João Pessoa/PB

    95 Rocha.MeiraM12 Manaus/AM

    96 José dos Santos Soares Aracaju/SE

    97 Flávia de Lima Vilar dos Santos São Paulo/SP

    98 Lúcia Helena Caniçali Aracruz/ES

    99 Aldenir Vieira da Silva Goiania/GO

    100 Nara Albernaz Pinheiro Cerri Osasco/SP

    101 Cristiano Vieira Cavalcanti Recife/PE

    102 Gustavo de Souza Dias Brasília/DF

    103 Claudilene Mendanha Goiânia/GO

    104 FD Eletronics Recife/PE

    105 Patrícia de Sousa Sá Núcleo Bandeirante/DF

    106 Erismar Nascimento São Sebastião/DF

    107 Ari Guilherme Ferreira de Almeida Cacoal/RO

    108 Marcon Couto Garcia Belo Horizonte/MG

    109 Aline Simone Ferreira Madureira Cabo de Santo Agostinho/PE

    110 Tatiane Magno Morais Macapa/AP

    111 Fernando César Ferreira de Queiroz Fortaleza/CE

    112 Thiago Almeida Recife/PE

    113 Daniel Takara São Paulo/SP

    114 Edson Henrique São José dos Campos/SP

    115 Geórgia M Neddemeyer Goiânia/GO

    116 Luís Batista de Souza Júnior Teresina/PI

    117 Edézio Ponce Cuiabá/MT

    118 Guilherme Coelho Reis Rio de Janeiro/RJ

    119 Fabrício/BSB Brasília/DF

    120 Luciana Pedrosa Mendes Teresina/PI

    121 Thales de Melo Casado Sobradinho/DF

    122 Mirelle Machado Rio de Janeiro

    123 Daniel Henrique Romero São Paulo/SP

    124 Patrícia Uhebe Rio de Janeiro/RJ

    125 Elaine Fátima Hoffman Vitória da Conquista/BA

    126 Alan Almeida Salvador/BA

    127 Clarice Nassur Alves Vitória/ES

    128 Rogério de Marques Freitas Belo Horizonte/MG

    129 Luciana Thais Pereira Paulo Osasco/SP

    130 Karlla Valadares Cordeiro Belo Horizonte/MG

    131 Flaudimiro Chaves Vitória Filho Salvador/BA

    132 Renato Marques de Araújo Londrina/PR

    133 Zaira Franci Nogueira de Freitas Fortaleza/CE

    134 Antonio Carlos Pricoli São Paulo/SP

    135 Maria Luciana Ribeiro do Valle Estima Recife/PE

    136 Eder Rogerio Molina dos Santos São José do Rio Preto/SP

    137 Eduardo Andrade Berto Belo Horizonte/MG

    138 Valdicélia Souza da Silva ??

    139 Ieda Ianashiro São Paulo/SP

    140 Peterson Correia Recife/PE

    141 Ana Beatriz Bianchi Ribeiro Recife/PE

    142 Lucalipe Sobradinho/DF

    143 Geraldo Filho João Pessoa/PB

    144 Eliane de Freitas Recife/PE

    145 Luciana Thais Pereira Paulo ??

    146 Hipa Campo Formoso/BA

    147 Alexsander Cuiabá/MT

     

    • Compartilhe 


    Eu Vou Passar® - Copyright 2010. Todos os direitos reservados.

    Eu Vou Passar Comércio de Livros e Materiais Didáticos e Serviços Educacionais Ltda
    Av. Lins Petit, 320 - Salas 403/404 - Boa Vista - Recife - PE - CEP 50.070-230
    CNPJ: 11.292.078/0001-43