Página Inicial > Artigos > Fabiano Sales

» Artigos

  • Compartilhe 
  • Fabiano Sales
  • Português para a PETROBRAS: Dicas finais

    03/04/2013
    Olá, pessoal!

    Para aqueles que prestarão as provas para a PETROBRAS nos próximos dias, elaborei uma relação de tópicos de Língua Portuguesa que poderão ser objeto de avaliação no concurso. São assuntos que vêm constantemente sendo exigidos nas provas organizadas pela Fundação Cesgranrio e que, portanto, têm boa possibilidade de figurar no caderno de questões.

    Acompanhem comigo!

    COMPREENSÃO E INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS / SEMÂNTICA

      

    Sonhos, ousadia e ação

     Albert Einstein (1879-1955), físico alemão famoso por desenvolver a Teoria da Relatividade, mencionou, durante sua vida, várias frases famosas. Uma delas é: Nunca penso no futuro. Ele chega rápido demais. Para um gênio como Einstein que vivia muito à frente de sua época, tal frase poderia ter certo sentido. Mas também deixa claro que sua preocupação era agir no presente, no hoje, e as consequências dessas ações seriam repercutidas no futuro.

    Ainda utilizando frases do físico, mais uma vez ele quebra um paradigma quando cita: A imaginação é mais importante do que o conhecimento. Os céticos podem insistir em afirmar que o mais importante é adquirir conhecimento. No entanto, sem a criatividade nascida de uma boa imaginação, de nada adianta possuir conhecimento se você não tem curiosidade em ir além.

    O conhecimento é muito importante para validar a criatividade e colocá-la em prática, mas antes de qualquer ação existiu a imaginação, um sonho que aliado ao conhecimento e habilidades pode transformar-se em algo concreto. Já a imaginação criativa, sem ações, permanece apenas como um sonho.

    Ainda à frente de sua época e indiretamente colaborando para os dias atuais, Einstein mais uma vez apresenta uma citação interessante: no meio de qualquer dificuldade encontra-se a oportunidade. Ou seja, mesmo em meio a uma crise, podemos encontrar oportunidades. Oportunidades aos empreendedores, aos inovadores, às pessoas e empresas que tiverem atitude e criatividade, que saiam da mesmice, que não se apeguem a fatos já conhecidos, mas busquem o novo, o desconhecido.

    Como profissionais, precisamos ser flexíveis e multifuncionais. Devemos deixar de nos conformarmos em saber executar apenas uma atividade e conhecer várias outras, nas quais com interesse e dedicação podemos ser diferenciados. Já as organizações devem encontrar, em uma nova realidade, novos usos de produtos e boas oportunidades para os mercados que passaram a existir.

    E para fechar este artigo com chave de ouro, cito outra sábia frase de Einstein: Algo só é impossível até que alguém duvide e acabe provando o contrário. Acredite, tudo é possível desde que seja dado o primeiro passo. Você pode realizar seus sonhos se tiver confiança e lutar por eles. Poderá encontrar novas oportunidades desde que olhe fora da caixa e seja o primeiro a descobrir uma chance que ninguém está conseguindo ver.

    Para se chegar a uma longa distância é preciso, antes de tudo, dar o primeiro passo. Parecia impossível o homem voar e ir à lua. Quem imaginou, 30 anos atrás, que poderíamos acessar milhares de informações em milésimos de segundos através da Internet? Mas para estas perguntas, por mais óbvias que sejam as soluções, faço das palavras de Einstein minha resposta: alguém que duvidou e provou o contrário.

     

    CAMPOS, Wagner. Disponível em: . Acesso em: 02 jul 2010. (adaptado)

     

    1. A passagem destacada, no contexto em que se insere, NÃO corresponde, semanticamente, à característica a ela atribuída em

    (A) ...que tiverem atitude...: ação.

    (B) ...que saiam da mesmice,: sonho.

    (C) ...mas busquem o novo,: ousadia.

    (D) ...saber executar apenas uma atividade...: multifuncionalidade.

    (E) ...conhecer várias outras: flexibilidade.

     

    Comentário: As passagens elencadas nas questões foram extraídas do seguinte excerto: Ainda à frente de sua época e indiretamente colaborando para os dias atuais, Einstein mais uma vez apresenta uma citação interessante: no meio de qualquer dificuldade encontra-se a oportunidade. Ou seja, mesmo em meio a uma crise, podemos encontrar oportunidades. Oportunidades aos empreendedores, aos inovadores, às pessoas e empresas que tiverem atitude(a) e criatividade, que saiam da mesmice(b), que não se apeguem a fatos já conhecidos, mas busquem o novo(c), o desconhecido. Percebe-se, dessa forma, que a característica sonho não corresponde, semanticamente e no contexto em que se insere, à expressão que saiam da mesmice. A essa passagem pode ser atribuída, por exemplo, a característica de inconformismo, ou seja, aquele que não se conforma facilmente. Logo, a letra (B) é nossa resposta.

    Gabarito: B.

     

    2. Em nas quais com interesse e dedicação podemos ser diferenciados, o vocábulo destacado pode ser substituído, sem alteração de sentido, por

    (A) indiscriminados.

    (B) inatingíveis.

    (C) preteridos.

    (D) disseminados.

    (E) destacados.

     

    Comentário: De acordo com o contexto, as palavras podem assumir diferentes significados. No excerto nas quais com interesse e dedicação podemos ser diferenciados, o vocábulo em epígrafe foi empregado na acepção de ter diferencial, isto é, destacar-se dos demais. Por conseguinte, o adjetivo destacados, constante da assertiva (E), mantém o sentido original e atende ao comando do enunciado. As demais opções alterariam a significação original do texto, pois:

     a) indiscriminados significa confundido, indistinto.

    b) inatingíveis traz a noção daquilo que não pode ser atingido, alcançado.

    c) preteridos apresenta-se sob a acepção de ser deixado de lado, esquecido.

    d) disseminados, por fim, significa espalhado, difundido.

    Gabarito: E.

     

     

    ORTOGRAFIA

     

    Os vocábulos discussão, atingimos e empresa são grafados, respectivamente, com ss, g e s.

    São grafadas, respectivamente, com essas mesmas letras as seguintes palavras:

     

    (A) a___ambarcar, o___eriza, requi___ito.

    (B) la___idão, impin___ir, irri___ório.

    (C) ob___ecado, here___e, he___itar.

    (D) re___uscitar, gor___eta, parali___ar.

    (E) can___aço, la___e, morali___ar.

     

    Comentário: Devem ser grafadas com SS, G e S, respectivamente, as seguintes palavras: lassidão (derivado de lasso, que significa cansado, fatigado), impingir e irrisório (derivado de riso). Nas demais opções, a grafia correta é:

     

    A) açambarcar (tomar com exclusividade), ojeriza e requisito.

    C) obcecado, herege e hesitar.

    D) ressuscitar, gorjeta e paralisar.

    E) cansaço, laje e moralizar.

    Gabarito: B.

      

    EMPREGO DAS CLASSES DE PALAVRAS

     

    Assinale a opção incorreta quanto à classe atribuída à palavra destacada.

     

    a) Sabe-se que, - conjunção subordinativa integrante.

    b) ...beneficiando-se de um impulso mútuo. - numeral.

    c) ela entra outra vez... - pronome indefinido.

    d) levantam vôo, sozinhas, - adjetivo.

    e) ...para apoiar o mais fraco. - advérbio.

     

    Comentário: Vamos analisar as alternativas.

     

    a) Correta. Em Sabe-se que, o elemento destacado é uma conjunção integrante. Para facilitar essa identificação, substitua esse vocábulo por isso: Sabe-se isso.

    b) Esta é a resposta da questão. No contexto, um pertence à classe dos artigos indefinidos, antecedendo o substantivo impulso.

    c) Correta. No contexto, o vocábulo outra indefine o momento expresso, pertencendo, pois, à classe dos pronomes indefinidos.

    d) Correta. Em levantam vôo, sozinhas,, a palavra em destaque foi empregada com o sentido de só. Logo, pertence à classe dos adjetivos.

    e) Correta. No trecho, mais modifica o adjetivo fraco, e, como sabemos, palavras que modificam adjetivos, advérbios ou verbos pertencem à classe dos advérbios.

     

    Gabarito: B.

     

     

    FLEXÃO NOMINAL

     

    Em A imaginação é mais importante do que o conhecimento, o vocábulo destacado só apresenta uma forma de plural. Dentre os substantivos listados abaixo, aquele que também só apresenta uma forma de plural é:

    (A) cidadão.

    (B) corrimão.

    (C) vulcão.

    (D) refrão.

    (E) guardião.

     

    Comentário: A questão versa sobre a flexão de número dos substantivos terminados em -ão. Os vocábulos encerrados por essa terminação podem fazer três plurais: -ões, -ãos e -ães. A flexão, entretanto, dependerá da origem do vocábulo, ou seja, de sua etimologia.

    Exemplos:

                 A palavra mão provém do latim manu(m). Durante a evolução, o vocábulo perdeu o ?n? intervocálico e ganhou o til, que faz a nasalização, originando mão.

                Por sua vez, o vocábulo pão tem sua origem encontrada na forma latina pane(m), originando o plural pães.

    Já a palavra leão advém da forma latina leone(m), razão por que faz plural em -ões: leões.

     

    Para efeito de concurso, todavia, vamos utilizar as prescrições contidas nas gramáticas. Segundo a norma culta, o plural em -ões constitui o grupo mais numeroso (é a flexão mais eufônica):

     

    ação - ações

    balão - balões

    limão - limões

    imaginação - imaginações (palavra constante do enunciado)

     

                Todos os paroxítonos - a terminação -ão recai na sílaba átona - fazem plural com o acréscimo do morfema de plural -s, ou seja, são flexionados em -ãos:

    acórdão - acórdãos

    bênção - bênçãos

    gólfão - gólfãos

    órfão - órfãos

    órgão - órgãos

    sótão - sótãos

                Esse processo também ocorre com alguns vocábulos monossílabos e oxítonos: (as palavras a seguir admitem apenas uma forma pluralizada)

    chão - chãos

    cidadão - cidadãos (letra (A): a resposta de nossa questão)

    cristão - cristãos

    grão - grãos

    mão - mãos

                 Alguns monossílabos e oxítonos formam plural apenas em -ães:

    alemão - alemães

    bastião - bastiães

    cão - cães

    capelão - capelães

    capitão - capitães

    catalão - catalães

    charlatão - charlatães

    escrivão - escrivães

    pão - pães

    sacristão - sacristães

    tabelião - tabeliães

                 Por sua vez, alguns vocábulos oxítonos admitem mais de um plural:

     

    aldeão - aldeãos, aldeões

    corrimão - corrimãos, corrimões (assertiva (B) da questão)]

    guardião - guardiães, guardiões (assertiva (E) da questão)

    refrão - refrãos, refrões (assertiva (D) da questão)

    sultão - sultães, sultões

    vulcão - vulcãos, vulcões (assertiva (C) da questão)

    verão - verãos, verões

     

                Portanto, a letra (A) é o gabarito da questão.

    Gabarito: A.

     

    FLEXÃO VERBAL

     

    A forma do verbo clarear está INCORRETA em:

    a) O sol clareia o mundo.

    b) A irmã clareou os cabelos.

    c) Abra as janelas para que o dia clareie a sala.

    d) Clariamos a roupa ao sol.

     

    Comentário: O verbo clarear termina em -ear. Logo, é irregular, devendo receber a vogal i nas formas rizotônicas (eu, tu, ele e eles). Exemplos:

     

    Presente do indicativo - eu clareio, tu clareias, ele clareia, nós clareamos, vós clareais, eles clareiam.

     

    Pretérito perfeito do indicativo - eu clareei, tu clareaste, ele clareou, nós clareamos, vós clareastes, eles clarearam.

     

    Presente do subjuntivo - (que) eu clareie, tu clareies, ele clareie, nós clareemos, vós clareais, eles clareiem.

     

                Assim, percebemos que a flexão do verbo clarear está incorreta na assertiva D. O correto é Clareamos a roupa ao sol.

     

    Gabarito: D.

     

     


    VOZES VERBAIS

     

    Reescrevendo-se a passagem Para chegar a esta conclusão foram analisados três fatores: na voz ativa, o correto, segundo o registro culto e formal da língua, é:

    a) para chegar a esta conclusão analisou-se três fatores.

    b) para chegar a esta conclusão analisaram-se três fatores.

    c) para chegar a esta conclusão analisaram três fatores.

    d) eram analisados três fatores para chegar a esta conclusão .

    e) foram sendo analisados três fatores para chegar a esta conclusão.

     

    Comentário: A questão exigiu a transposição da voz passiva analítica para a ativa. Nas lições, estudamos que:

     

    1º) o agente da passiva torna-se sujeito da ativa ? na frase em análise, não há esse componente, o que levará o verbo à 3ª pessoa do plural na voz ativa;

    2º) o tempo verbal da voz passiva permanece inalterado na voz ativa ? analisaram (pretérito perfeito do indicativo);

    3º) o sujeito da passiva (três fatores) torna-se objeto direto da ativa.

     

                Logo, haverá a seguinte estrutura na voz ativa: Analisaram três fatores para chegar a esta conclusão. ou Para chegar a esta conclusão analisaram três fatores.

     

    Gabarito: C.

     

    EMPREGO DOS PRONOMES RELATIVOS E SUAS FUNÇÕES SINTÁTICAS

     

     

    A sentença em que a expressão em negrito está usada de acordo com a norma-padrão é:

    a) O provedor que comprei o plano demonstra eficiência.

    b) As pessoas dos quais compareceram desconheciam informática.

    c) O desejo de que a Internet ficasse mais rápida se realizou.

    d) O menino, o cujo pai trabalha em informática, virá ajudar-nos.

    e) A matéria aonde me dei mal foi programação.

     

    Comentário: A questão mescla conhecimento de emprego dos pronomes relativos com regência (este último assunto será estudado detidamente em aula oportuna). Vamos analisar cada opção.

     

    A) Em O provedor que comprei o plano demonstra eficiência., houve a omissão inadequada da preposição de, pois o provedor foi comprado do plano. Logo, o excerto correto é O provedor de que comprei o plano demonstra eficiência.

    B) Em As pessoas dos quais compareceram desconheciam informática., o verbo comparecer é transitivo direto, o que invalida o emprego da preposição de em dos quais. Além disso, houve um erro de concordância, pois a expressão deve concordar em gênero com As pessoas: As pessoas as quais compareceram desconheciam informática.

    C) Esta é a resposta da questão. O substantivo desejo rege emprego da preposição de, razão por que a expressão de que foi corretamente utilizada no contexto.

    D) O pronome relativo cujo não admite a anteposição ou posposição de artigos. Logo, o correto é O menino, cujo pai trabalha em informática, virá ajudar-nos.

    E) No excerto A matéria aonde me dei mal foi programação., o relativo onde foi empregado incorretamente. Esse vocábulo deve ser empregado quando houver referência a lugar, o que não ocorre no contexto em análise. Portanto, é correta a substituição por em que: A matéria em que me dei mal foi programação.


     

    Assinale a opção em que o termo EM QUE tem a mesma função sintática do destacado em No momento em que saía de casa,.

     

    a) Na casa em que ela morava antigamente não faltava água.

    b) Existem determinadas histórias em que, às vezes, não acreditamos.

    c) Foi providencial a época em que conheci pessoas tão generosas.

    d) O argumento em que você se baseava foi rejeitado pelo diretor.

    e) O projeto de reciclagem em que tinham absoluta confiança foi indefinido.

     

    Comentário: Inicialmente, devemos analisar o contexto do enunciado. No trecho No momento em que saía de casa, o termo em que retoma a expressão no momento e indica o tempo em que ocorre a saída. Logo, essa expressão desempenha a função de adjunto adverbial de tempo. De posse dessa informação, passemos à análise das assertivas.

     

    a) Incorreta. No contexto de Na casa em que ela morava (...), o termo em que retoma a expressão na casa e desempenha a função de adjunto adverbial de lugar.

    b) Incorreta. Em Existem determinadas histórias em que, às vezes, não acreditamos, o verbo acreditar rege o emprego da preposição em, elemento que introduzirá o objeto indireto. No contexto, essa função sintática é desempenhada pela expressão em que: Às vezes, não acreditamos em determinadas histórias.

    c) Esta é a resposta da questão. No excerto Foi providencial a época em que conheci (...), a expressão em que desempenha a função de adjunto adverbial de tempo, substituindo a época. Para facilitar a visualização, podemos transcrever o segmento da seguinte forma: Conheci pessoas tão generosas naquela época.

    d) Incorreta. No contexto, a expressão em que desempenha a função de complemento do verbo basear, qual seja, objeto indireto.

    e) Incorreta. O vocábulo confiança rege o emprego da preposição em, a qual antecede o pronome relativo que. Portanto, o termo em que exerce a função de complemento nominal.

     

    Gabarito: C.

     


    VALOR SEMÂNTICO DOS CONECTIVOS

     

     

    Assinale a opção em que o sentido se mantém quando se reescrevem os períodos Deixamos de criar. Nos apegamos aos padrões que nos impedem de crescer, ampliar e inovar. em um só período.

    a) Deixamos de criar no entanto nos apegamos aos padrões que nos impedem de crescer, ampliar e inovar.

    b) Deixamos de criar mesmo que nos apeguemos aos padrões que nos impeçam de crescer, ampliar e inovar.

    c) Deixamos de criar a fim de que nos apeguemos aos padrões que nos impedem de crescer, ampliar e inovar.

    d) Deixamos de criar uma vez que nos apegamos aos padrões que nos impedem de crescer, ampliar e inovar.

    e) Como deixamos de criar, nos apegamos aos padrões que nos impedem de crescer, ampliar e inovar.

     

    Comentário: Fazendo uma análise dos períodos constantes do enunciado, podemos identificar que apegar-se aos padrões que nos impedem de crescer, ampliar e inovar revela a causa, ou seja, o motivo de deixar de criar. Por essa razão, a junção entre ambas as orações deve ser feita por meio de um conector de valor causal: uma vez que, já que, porque, visto que, porquanto. Sendo assim, já eliminamos as opções (A), (B) e (C), pois há a indicação, respectivamente: (a) de valor semântico de adversidade com o emprego do conector no entanto; (b) da ideia de concessão por meio do conectivo mesmo que; (c) do matiz semântico de finalidade ao empregar o conector a fim de que. Restam-nos, apenas, as opções (D) e (E). Vamos, então, analisá-las.

    (D) Esta é a resposta da questão. No contexto em análise, o conector uma vez que revela o que mencionamos no enunciado: apegar-se aos padrões que nos impedem de crescer, ampliar e inovar revela a causa, o motivo de deixar de criar. Ao empregar o conectivo causal, os períodos mantiveram o sentido original.

    (E) Incorreta. No contexto, o conectivo como apresenta valor de causa. Entretanto, a relação de causa e efeito foi invertida, se comparada àquela do enunciado. Portanto, não foi preservado o sentido inicial.

    Gabarito: D.

     

    SINTAXE DE CONCORDÃNCIA

     

    Segundo Darwin, existiriam seis emoções.... Substituindo-se a forma verbal destacada acima por outra ou por uma locução verbal, a concordância verbal estará correta, segundo a norma culta, caso se use:

     

    a) haveria;

    b) haveriam;

    c) deveria existir;

    d) poderiam haver;

    e) haveria de existir.

     

    Comentário: O verbo haver será impessoal quando for empregado na acepção de existir, acontecer ou ocorrer. Nessas hipóteses, será impessoal, ou seja, não tem sujeito, devendo permanecer na 3ª pessoa do singular.

                É importante destacar que os verbos existir, acontecer e/ou ocorrer são pessoais, ou seja, têm sujeito, razão por que devem concordar com o núcleo dessa função sintática.

                Resolvendo a questão, o período Segundo Darwin, existiriam seis emoções... a expressão destacada desempenha a função de sujeito, motivo pelo qual o verbo existir concorda em número plural. Entretanto, ao substituir essa forma verbal por haveria (verbo impessoal), o sujeito da oração será inexistente. Logo, deve permanecer na 3ª pessoa do singular: Segundo Darwin, haveria seis emoções....

    Gabarito: A.

     

      

    EMPREGO DO ACENTO GRAVE

     

    Há omissão do sinal indicativo da crase em:

      

    (A) Os vizinhos tomaram providências a respeito dos latidos.

    (B) O autor se refere a dupla de artistas como adoráveis.

    (C) Agradeci a ele pelo magnífico presente.

    (D) Os cães continuaram a latir sem parar.

    (E) Ela visita a avó todos os domingos.

     

     Comentário: Vamos analisar as opções.

     

    A) No período Os vizinhos tomara providências a respeito dos latidos, não deve ser empregado o acento grave indicativo de crase pelo fato de o vocábulo respeito pertencer ao gênero masculino. O a que é tão somente preposição, constituindo a locução a respeito de.

    B) Esta é a resposta da questão. A forma verbal refere-se rege o emprego da preposição a. Por sua vez, o termo regido dupla de artistas admite a anteposição do artigo definido feminino a. Logo, dever-se-ia empregar o acento grave indicativo de crase em O autor se refere à dupla de artistas como adoráveis.

    C) No trecho Agradeci a ele pelo magnífico presente, o elemento a é apenas preposição. Conforme nos ensinam as lições gramaticais, não se deve empregar o acento grave antes de pronomes pessoais.

    D) No trecho em análise, o a é apenas preposição, pois verbos não admitem a anteposição do artigo definido feminino a.

    E) Por fim, em Ela visita a avó, temos somente um artigo definido, pois o verbo visitar é transitivo direto, não regendo emprego de preposição.

     

    Gabarito: B. 

     

     

    PONTUAÇÃO

     

    No trecho do Texto II a baixa atividade solar reduziria a temperatura no planeta em 0,3 grau até o fim do século, isto é, apenas um décimo da elevação prevista pelos cientistas., a expressão isto é deve ser separada por duas vírgulas, de acordo com as regras de pontuação da Língua Portuguesa.

     

    O emprego das vírgulas está correto em:

     

    (A) A Terra é um planeta, e a Lua, é o seu único satélite.

    (B) Na Via Láctea, existem, estrelas e vários corpos celestes.

    (C) O Sol vai esfriar, mas isso, não vai refrescar a Terra.

    (D) Os planetas, cometas, e satélites giram em torno do Sol.

    (E) Por volta de 2020, ou seja, daqui a 8 anos, o Sol vai esfriar.

     

    Comentário: A resposta da questão encontra-se na assertiva (E). A expressão ou seja foi corretamente isolada por vírgulas para explicar a expressão Por volta de 2020. O segmento daqui a 8 anos desempenha a função de adjunto adverbial, o qual, por estar antecipado, foi isolado por vírgulas.

                Nas demais opções, temos:

     

    a) Na primeira ocorrência, a vírgula está correta, separando dois sujeitos distintos: Terra e Lua. Entretanto, após este último vocábulo, a vírgula foi empregada incorretamente, separando o sujeito Lua do verbo ser, representado pela forma verbal é.

    b) A expressão Na Via Láctea desempenha a função de adjunto adverbial antecipado, o que justifica o emprego da vírgula após esse segmento. Todavia, depois da forma verbal existem, a vírgula foi incorretamente empregado, separando o verbo existir de seu complemento estrelas e vários corpos celestes.

    c) Na primeira ocorrência, a vírgula foi empregada para introduzir a oração coordenada sindética adversativa mas isso (...). Entretanto, após a forma pronominal isso, esse sinal foi empregado de maneira equivocada, separando o sujeito isso da forma verbal vai.

     

    d) A assertiva apresentou erro na segunda ocorrência da vírgula, pois esse sinal de pontuação não deveria ter sido empregado antes do conectivo e, o qual encerra a enumeração composta por planetas, cometas e satélites.

     

    Gabarito: E.

     



    Desejo a todos um excelente desempenho durante a prova!


    Grande abraço.


    Fabiano Sales.

    fabianosales@euvoupassar.com.br

    • Compartilhe 


    Eu Vou Passar® - Copyright 2010. Todos os direitos reservados.

    Eu Vou Passar Comércio de Livros e Materiais Didáticos e Serviços Educacionais Ltda
    Av. Lins Petit, 320 - Salas 403/404 - Boa Vista - Recife - PE - CEP 50.070-230
    CNPJ: 11.292.078/0001-43